6 dicas essenciais de como criar uma loja virtual

por Junior Brandão

Ao buscar dicas de como criar uma loja virtual, uma atitude primordial é ter um planejamento bem definido. É ele que orienta as futuras condutas e estabelece objetivos, o que nos ajudará a entender se estamos no caminho certo e obtendo os resultados desejados. É por meio dele, também, que conseguimos alinhar as nossas necessidades com o poder de investimento financeiro.

Como criar uma loja virtual do zero

Somado a isso, também podemos dar atenção às tendências do mercado. Elas nos ajudam a obter insights, que podem ser implementados em nossas estratégias, fazendo com que fiquem mais atraentes aos consumidores.

Reuni, aqui, algumas dicas que acho interessantes para você adotar no seu negócio. Veja!

1. Defina as melhores ferramentas

Uma das grandes vantagens de e-commerces, em comparação a lojas físicas, é que eles têm a possibilidade de automatizar as ações, acompanhar de perto os resultados e oferecer boas experiências de compra, partindo da análise de dados reais.

Para isso, eu aconselho a investir em ferramentas de qualidade, que possam ajudar tanto na produtividade quanto na análise de métricas. Um bom começo é optar por uma plataforma eficiente, que aguente uma quantidade grande de visitas e que facilite o adicionamento dos produtos para a venda.

Outra ferramenta interessante é a de definição de palavras-chave, que serão inseridas nas páginas e nas descrições de produtos. A Ubersuggest é uma opção bacana, pois, além de gratuita, fornece informações detalhadas sobre os termos e a concorrência.

Também podemos falar em um recurso para acompanhamento do desempenho, como Google Analytics. Já um CRM (Customer Relationship Management) ajudará a conhecer melhor o público, deixando as práticas mais alinhadas.

2. Escolha os meios de pagamento

Uma das decisões mais importantes que um gestor precisa ter, ao buscar ideias de como criar uma loja virtual, é em relação às formas de pagamento, já que elas impactam a conversão da venda e a proteção, tanto do cliente quanto do lojista.

Primeiro, é legal ter em mente que cada consumidor chegará com necessidades distintas de aquisição. Enquanto uns preferem parcelas em cartão de crédito, outros procuram por boletos de pagamento. O ideal, então, é tentar oferecer o máximo de opções possíveis, diminuindo as chances de alguém encher o carrinho de compras e depois desistir de levar os itens.

Muitos comerciantes optam por gateways e intermediadores de pagamento, pois são soluções que disponibilizam diversos meios de pagamento, além de proteger o consumidor contra roubo de dados, e o lojista, contra atitudes maliciosas.

3. Utilize técnicas de SEO dentro da loja virtual

Se você deseja ser encontrado por novos visitantes, não pode deixar as técnicas de SEO de lado. É por meio da otimização das páginas e dos conteúdos, do uso de palavras-chave e da aplicação de escaneabilidade que usuários conseguem encontrar os produtos que você vende.

Um dos passos para isso é usar uma ferramenta de keyword, como a Ubersuggest, que recomendei, isso ajudará na decisão do melhor termo para seu público.

As boas práticas mandam que as palavras-chave sejam inseridas:

  • na descrição dos produtos;
  • no título da página;
  • no título do produto;
  • na imagem;
  • na URL.

4. Atente à experiência do cliente

A experiência do cliente se define na percepção que ele tem ao entrar em contato com a sua marca, envolvendo todas as etapas da jornada de compras. Ou seja: a pesquisa, a comparação, a aquisição e a pós-compra.

A navegabilidade do site é um dos pontos de atenção, pois é dessa forma que a pessoa encontra as informações sobre a mercadoria desejada. Tenha atenção com a velocidade no carregamento das páginas e categorize os produtos seguindo uma hierarquia lógica. O design do site é mais um detalhe que faz a diferença para tornar o e-commerce mais apresentável.

Boas fotos são essenciais. Assim, tenha imagens com resoluções apropriadas, que mostrem as cores reais e todos os ângulos do item. As descrições também ajudam nessa experiência. Coloque informações completas, com dados objetivos, especificando dimensões e utilidades. Não deixe de lado termos que ajudam na conversão, como gatilhos mentais e expressões sensoriais.

5. Organize-se com a logística

Detalhes como o estoque, a entrega e o pedido a fornecedores também fazem parte dessa nossa lista.

O estoque precisa armazenar os itens, visando deixá-los disponíveis, sempre que houver requisições. Ao mesmo tempo, a quantidade armazenada não pode ser mais que o necessário. Estoque parado é dinheiro parado, assim a rotatividade deve existir.

Com relação à entrega, é importante decidir se você vai contar com a ajuda dos Correios, de transportadoras ou de motoboys, por exemplo. A escolha disso impacta tanto a satisfação do cliente (pela rapidez ou pelo frete) quanto a rentabilidade da empresa, já que será necessário um investimento financeiro.

Também é recomendado ter contratos com fornecedores de confiança, garantindo que o reabastecimento de mercadorias chegue na data certa e que os itens tenham qualidade e preço justo, ao mesmo tempo.

6. Estabeleça uma boa estratégia de marketing

É por meio de um marketing bem feito que a marca consegue alcançar a audiência. Algumas ideias são mídias sociais, links patrocinados, influencers digitais, marketing de conteúdo, e-mail marketing.

Em mídias sociais, você pode abrir um perfil no Instagram ou no Facebook, por exemplo, para sua empresa. Um e-commerce de roupas pode postar fotos da coleção, dar ideias de looks e usar recursos, como os stories, para estabelecer uma comunicação mais próxima com o público.

Links patrocinados são propagandas pagas, que podem aparecer no Google ou nas redes sociais. Eles são estratégias importantes, principalmente para quem ainda está iniciando suas atividades. No entanto, é fundamental haver um estudo do plano para segmentar o público certo.

Influencers digitais também são boas apostas, mas para ter resultados positivos, eu recomendo avaliar se a audiência deles está alinhada com à da sua empresa.

O marketing de conteúdo é uma estratégia do inbound marketing, com o objetivo de atrair pessoas, a partir de assuntos relevantes. É uma forma de criar autoridade para a marca e engajar leads.

O e-mail marketing é usado para se aproximar dos clientes, ao mandar mensagens com conteúdos ricos ou com promoções. É, ainda, uma estratégia para gerar tráfego para o site e o blog, otimizando as posições das páginas na SERP.

Com essas dicas de como criar uma loja virtual, com certeza você estará preparado para dar seus primeiros passos, construir sua marca e atrair um público interessado. Não deixe de conferir seus resultados, para ter certeza de que está adotando as melhores táticas.

E se você quiser uma orientação mais personalizada ao seu caso, entre em contato conosco! Temos profissionais qualificados, prontos para dar uma mãozinha.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.