3 principais dúvidas acerca de pagamentos online em e-commerce

por Isabela Saney

Deixar de oferecer uma forma específica de pagamento online ou ter altas taxas faz a diferença na escolha do cliente. Mais do que perder a venda, o e-commerce deve evitar que aquele visitante (praticamente conquistado) recorra a sites de reclamação por algum problema envolvendo seu sistema de pagamentos online.

Por exemplo, de acordo com estudo da Webshoppers, o cartão de crédito é utilizado em 67% das compras online; 19% dos clientes optam pelo boleto bancário, 6% pelo cartão próprio da loja e 8% usam outros meios de pagamento. Qual dessas parcelas seu e-commerce deve focar?

A resposta é todas, e não só isso: também deve apresentar processos eficientes para atender as diferentes demandas do público, hoje cada vez mais criterioso em suas escolhas.

Continue lendo o post e veja a resposta a outras perguntas que vão deixar você mais informado sobre os principais métodos de pagamento online e porque eles podem ser um diferencial do seu negócio.

1. O meio de pagamento influencia na decisão de compra?

Em um mercado cuja taxa de abandono do carrinho chega a 82,6%, de acordo com a Abcomm, os gestores devem considerar todas as alternativas que podem reduzir as chances de o consumidor desistir da compra. De pouco adianta a loja virtual ter um bom atendimento, um preço competitivo e uma entrega rápida se o visitante encontrar barreiras na hora de pagar pela mercadoria que deseja.

Um processo de pagamento online eficiente pode ser visto como um dos diferenciais do empreendimento. Para isso, é preciso ser seguro, ágil, rápido e amplo, no sentido de ter diferentes formas de pagamento, fatores que fazem toda a diferença no poder de decisão do público.

2. Quais as principais opções disponíveis?

Boleto bancário, cartão de crédito, débito e transferência bancária. Todas essas opções estão disponíveis em dois sistemas, conforme vamos mostrar a seguir.

Gateway de pagamento

O gateway é um sistema que conecta as informações entre consumidor, e-commerce e banco para finalizar a compra de forma segura, independentemente da forma de pagamento utilizada: cartão de crédito, débito ou transferência. Pode ser feita de forma integrada ao sistema da loja virtual sem necessidade de abrir uma nova página para isso.

Intermediador de pagamento

Já o intermediador de pagamento, como o nome sugere, é uma plataforma que faz a intermediação entre cliente, banco e e-commerce para a conclusão da compra. Oferece diferentes formas de pagamentos, contudo nem sempre a transação é realizada na mesma página de checkout, sendo necessária a abertura de uma nova aba (ou cadastro).

3. O que levar em conta no momento da escolha?

As duas opções são interessantes, do ponto de vista comercial. No entanto, é necessário considerar alguns pontos. Veja mais detalhes a seguir.

Checkout transparente

O consumidor quer comodidade na hora de comprar pela internet. Ele deseja apenas escolher seu item, se possível por um bom preço, pagar com a segurança de que vai receber o que comprou e aguardar a entrega. Qualquer dificuldade que tiver ao longo desse processo vai gerar desconfiança.

Alguns intermediadores fazem com que o usuário saia da página de checkout no momento de finalizar a compra. Muitos consumidores encaram essa mudança brusca com desconfiança e nem sempre finalizam o pagamento. De acordo com um estudo do SPC Brasil, a falta de um checkout transparente é um aspecto preocupante para os e-consumidores.

Há duas opções: a primeira é optar por uma solução que não transfira para uma nova página ou, se não tiver outra forma, escolher a opção que ofereça uma página de checkout personalizada, de acordo com o design adotado por sua loja, para transmitir mais segurança ao consumidor.

Mensalidade e taxas

Além de avaliar as soluções que ofereçam preços mais interessantes (inclusive taxa de adesão grátis), é necessário analisar os valores cobrados por vendas e, no caso de vendas parceladas, analisar se é possível receber o valor integral no ato da compra. As taxas podem mudar em diferentes casos, portanto é importante se atentar a todos os números para conciliar com sua estratégia de aquisições com fornecedores.

Basicamente, taxas altas inviabilizam suas vendas, mesmo se a mensalidade e adesão forem gratuitas. Verifique todas as questões contratuais, asteriscos e letras miúdas, para evitar custos surpresas. O segredo aqui é muita pesquisa para evitar as armadilhas.

Comodidade

O ideal é que a solução de pagamento funcione de forma independente do ponto de vista financeiro, deixando para o gestor o tempo necessário para focar a gestão de seu negócio. Portanto, vale a pena considerar a questão da comodidade, que deve atender fatores como automação de processos, maior praticidade para o cliente e flexibilidade (inclusive nas formas de cobrança ao e-commerce), com opções de repasse online e offline.

Segurança

O e-commerce já conseguiu driblar a desconfiança e fez crescer a preferência do consumidor. Isso só foi possível a partir de processos seguros, em grande parte pelas soluções de pagamentos online. Por isso, é importante contar com um parceiro que ofereça um ambiente seguro para os dois lados (e-commerce e cliente), criptografe informações, tenha certificados digitais, entre outros fatores que agregam confiabilidade e segurança às suas transações.

Atente-se aos seguintes fatores:

  • integração com a sua plataforma, visto que alguns intermediadores de pagamento não são compatíveis;
  • possibilidade da solução oferecer análise de risco para evitar fraude;
  • mecanismos de segurança adotados;
  • variedade de formas de pagamento;
  • tempo para a conclusão do processo de pagamento;
  • serviço de help desk, tira-dúvidas e suporte;
  • possibilidade de atualização e de conformidade com as novidades do mercado.

O negócio online deve sempre oferecer várias formas de pagamento por meio de um parceiro financeiro que traga maior praticidade. Quanto mais rápido e prático for o sistema de cobrança online, maiores são as chances de evitar distrações durante o processo de compra.

O pagamento online é um ponto que interfere diretamente na sustentabilidade do e-commerce. Por isso ele precisa ser eficaz, dar condições para que o empreendimento se mantenha e ofereça opções na hora de pagar que sejam atuais e com a capacidade de atender os mais diversos públicos de acordo com seus hábitos de consumo.

Gostou do que leu? Na nossa newsletter há mais conteúdo interessante. Assine para ficar sempre bem informado sobre ao mercado virtual.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.