7 passos para estar preparado para vender produtos online

por Isabela Saney

Você está preparado para vender produtos online? Responder essa pergunta é importante, já que o e-commerce é um segmento que cresce 12% ao ano, ganhando progressivamente a preferência do consumidor.

Como saber se a sua loja virtual está preparada?

No entanto, empreender com uma loja virtual também tem seus desafios. É um modelo de negócios que envolve saber correr riscos e ter uma atitude muito conservadora pode fazer com que você fique estagnado.

Diante disso, como assumir os riscos certos? O que é preciso, de fato, para estar preparado para vender produtos online? No artigo de hoje, destacamos os sete passos mais importantes para você começar a escalada de sucesso com o seu e-commerce. Leia até o fim!

1. Trace um plano de negócios

O planejamento é a alma de um negócio de sucesso. Documentar seus objetivos, baseando-se em análises de mercado e prevendo o comportamento do seu consumidor é o primeiro e maior diferencial de qualquer empreendimento.

O mundo digital é dinâmico e, muitas vezes, o consumidor do e-commerce atende a certos impulsos, o que costuma ser chamado de Momento Zero de Consumo.

Ou seja, existe uma lógica por trás das compras na internet. Essa lógica já foi exaustivamente estudada, o que permite a você compreendê-la e aplicar esse conhecimento em um plano de negócios.

2. Faça benchmarking

Sabe aquelas reuniões de colegas em que costumamos atribuir uma performance ruim em um certo mês a um “desaquecimento do mercado”? Pois bem, tome cuidado para que essas conversas não fiquem no “achismo”.

Em outras palavras, lance mão do benchmarking, que consiste em comparar os seus números aos do mercado. Se você estiver gerando cifras menores do que a média, é necessário aceitar que o problema é interno e não externo.

O benchmarking também é um estudo comparativo dos concorrentes. Isso, claro, sempre guardando as devidas proporções e levando em conta diferenças no modelo de negócio e tamanho das empresas comparadas.

3. Estude os concorrentes

Por falar em concorrentes, não seria interessante aprender com os erros deles em vez de ter que cometer seus próprios erros para avançar?

Isso é possível. Um estudo atento da concorrência — seus erros, acertos, estratégias — é uma das melhores formas de compreender o seu próprio sistema de vendas e atuar sobre ele, realizando ajustes.

Se você tem uma certa resistência a fazer isso, saiba que, muito provavelmente, eles não vão ter. Talvez suas estratégias bem-sucedidas já sejam objeto de estudo por parte das empresas do seu segmento.

4. Invista em UX Design

Nos últimos anos, o UX Design (do inglês User Experience Design, ou Design da Experiência do Usuário) deu um salto em importância.

Como explicamos acima, o Momento Zero de Consumo diz respeito a uma atitude que, muitas vezes, é impulsiva. Esse impulso de compra pode passar muito rapidamente, logo, o seu site deve estar pronto para realizar uma venda com agilidade.

A tarefa do UX Design é justamente facilitar a usabilidade e o acesso lógico aos produtos nas buscas, favoritos e itens relacionados. Explicando dessa forma, pode parecer que estamos dando relevância excessiva a detalhes, mas esse não é o caso.

Todo profissional dessa área já se deparou com cases de sucesso em que a troca da cor de um botão, a mudança de posicionamento de uma imagem, a disposição de um elemento gráfico ou a descrição de um produto aumentaram significativamente as vendas em uma página.

Se fôssemos sugerir um tópico neste artigo para ter a sua atenção exclusiva, pode ter certeza de que seria o UX Design, uma das principais tendências do e-commerce.

5. Aposte em relacionamento nas redes sociais

Por tudo que dissemos até aqui, você já deve ter percebido que existem dois aspectos envolvidos em uma venda: o subjetivo ou emocional e o objetivo ou racional.

Em outras palavras, quando alguém toma uma decisão de compra, ele é movido por aspectos racionais como preço, formas de pagamento, confiabilidade do e-commerce, necessidade real daquele produto.

Na outra ponta estão os aspectos emocionais: envolvimento emocional com a marca, sensações que a posse daquele produto pode causar (nostalgia ou autoconfiança, por exemplo), noção de pertencimento a um grupo ou nicho social, entre outros.

Embora as redes sociais sejam muito interessantes para demonstrar racionalmente o valor dos produtos que o seu e-commerce vende, é nos aspectos subjetivos que elas mais se destacam.

O engajamento com a sua empresa nessas mídias gera uma relação muito próxima com o consumidor, levando-o subjetivamente a optar por você no impulso de compra. Não deixe suas redes sociais em segundo plano!

6. Use publicidade online

Segmentadas, direcionadas e mensuráveis, as campanhas de anúncios online são a melhor opção para atrair tráfego qualificado para o seu site.

Invista com segurança nessa estratégia e, de preferência, faça isso sob orientação de uma agência especializada nesse tipo de serviço.

Anúncios em Google Ads, por exemplo, são uma grande oportunidade de atrair novos clientes e também de conhecer o seu público por meio da enorme quantidade de dados gerados sobre os anúncios.

7. Tenha uma estratégia sólida de marketing digital

Assim como toda a sua atuação online começa com um planejamento, também é fundamental se pautar por uma estratégia de marketing digital para orientar as ações que visem a conquista de novos clientes.

Nesse sentido, é necessário compreender que tipo de consumidor você gostaria que se dirigisse à sua loja virtual e como os elementos visuais orientarão esse comprador na sua atitude de compra.

Esse percurso deve ser planejado, executado, analisado e medido. Com base nos resultados das análises, se necessário, faça ajustes.

Essas otimizações devem ser constantes e a mentalidade correta para um e-commerce fazer sucesso é a de que nada está bom o bastante, podendo sempre melhorar.

Certamente o e-commerce é um mercado muito promissor. Mas, para desbravar esse futuro rentável que se descortina no mercado brasileiro, você deve estar preparado para vender produtos online. Esperamos que as nossas dicas sejam o que faltava para fazer o seu e-commerce decolar. Boas vendas!

Já que começamos este artigo falando da importância de um plano de negócios para o seu e-commerce, recomendamos também a leitura do nosso conteúdo que vai ajudá-lo a criar um. Não deixe de ler!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.