6 novas tendências tecnológicas para otimizar os e-commerces

por Junior Brandão

A virtualização do comércio já é considerada uma das maiores revoluções do setor varejista nos últimos anos. Segundo um levantamento realizado pelo Google, a previsão é de que o comércio digital cresça aproximadamente 12,4% ao ano, chegando a dobrar sua fatia de faturamento até 2021.

 

Dado o contexto, todo gestor de e-commerce precisa ficar de olho nas novas tendências tecnológicas do segmento. Assim, ele pode se manter atualizado em termos de atendimento, marketing, vendas e desempenho.

 

Neste conteúdo, mostraremos 6 inovações em tecnologia para e-commerces que estão se tornando tendência mundial. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

 

1. Chatbots e Inteligência Artificial

 

Na atualidade, uma das tecnologias mais promissoras em Inteligência Artificial — desenvolvida para otimizar os canais de atendimento das empresas — são os chatbots, também conhecidos como robôs de atendimento.

 

Trata-se de sistemas que podem se comunicar com usuários humanos por meio de algoritmos e Inteligência Artificial, de modo que utilizam o histórico das interações dos demais atendimentos para aprimorarem a capacidade de interação. Em outras palavras, esses robôs são capazes de “aprender” a cada novo atendimento e utilizar os dados para melhorar suas respostas.

 

No contexto de um e-commerce, tais ferramentas já têm sido utilizadas amplamente ao redor do mundo. Elas permitem que a loja virtual mantenha seu setor de atendimento ativo em tempo integral, deixando apenas assuntos mais críticos para operadores humanos.

 

 

2. Plataformas omnichannel

 

Uma das novas tendências tecnológicas que têm feito sucesso tanto em e-commerces quanto nas estratégias de marketing de estabelecimentos físicos é a integração dos diversos canais de comunicação. Estamos nos referindo às plataformas omnichannel.

 

O conceito é amplo, mas de forma simplificada significa “todos os canais” — e é exatamente o que a tecnologia promete fazer: utilizar os meios de contato de uma empresa para sustentar o processo de compra de forma conveniente para o consumidor.

 

O fato é que não basta criar pontos de comunicação em diferentes canais. É necessário, também, integrá-los de forma que possam dar suporte uns aos outros no que diz respeito ao compartilhamento de dados que favoreçam a experiência do cliente.

 

Essa ferramenta já faz parte da realidade de muitas companhias, porém a previsão é que não haja mais diferenciação entre uma loja virtual e física em um futuro próximo. O estoque será um só e a forma como o cliente chegará até o produto não fará mais diferença, por exemplo. O foco será em “fisgá-lo” onde quer que esteja, tendo como objetivo facilitar sua vida, é claro.

 

 

3. Mobile First

 

Você sabia que a previsão era de que, até o fim de 2017, cada habitante tivesse pelo menos um smartphone? Pois bem: um estudo realizado pela FGV estima que 45% do tráfego de internet no Brasil é gerado a partir de dispositivos móveis.

 

Obviamente, o e-commerce já tem sofrido impactos positivos por conta dessas mudanças no comportamento de consumo da sociedade moderna. Segundo informações coletadas no ano de 2018, em uma das maiores feiras de tecnologia do mundo (o Mobile World Congress), cerca de 19% das vendas de lojas virtuais são realizadas diretamente por dispositivos móveis.

 

A tendência é que o número aumente para 41% até 2021. O que queremos dizer com tudo isso é que o conceito de Mobile First está deixando de ser considerado um diferencial e se tornando um pré-requisito para que as empresas se mantenham ativas no mercado.

 

Para que você tenha uma ideia da importância do Mobile First, os algoritmos do Google passaram a não indexar mais sites que não sejam “mobile friendly”. Uma das novas “regras” de ranqueamento do Google é que as páginas sejam capazes de se adaptar aos formatos de telas mobile.

 

Sendo assim, a tendência é que as plataformas de e-commerces comecem a ser projetadas com maior foco nesse segmento. Afinal, a experiência de navegação é um dos fatores relacionados à taxa de conversão e aos abandonos de carrinhos em lojas online.

 

 

4. Pesquisa por voz

 

Trata-se de uma tecnologia que também utiliza a Inteligência Artificial para reconhecer os comandos dados pelos usuários.

 

O recurso está cada vez mais presente em aplicações no meio virtual e funciona como uma espécie de assistente digital do Google. A melhor parte é que ele já pode ser integrado ao seu e-commerce, agilizando ainda mais o processo de compra dos clientes.

 

 

5. Blockchain

 

Blockchain é uma das tecnologias que possibilita a realização de transações financeiras por meio da internet. Ela funciona como uma espécie de banco de dados, no qual são distribuídos registros de eventos ou transações digitais, compartilhados entre as partes envolvidas.

 

Em outras palavras, trata-se de um livro contábil que registra as interações verificadas e aprovadas por consenso entre os participantes do sistema. Uma das premissas do blockchain é que seu nível de criptografia e a dificuldade para que os registros sejam alterados o fazem uma das tecnologias de segurança financeira na internet mais eficientes de todos os tempos.

 

Burlar o blockchain é uma tarefa extremamente complexa até mesmo para os criminosos digitais mais experientes. Os altíssimos níveis de segurança fornecidos aos dados de cartões de crédito e às informações pessoais têm colocado tal tecnologia na mira dos e-commerces.

 

 

6. Big Data

 

Para concluirmos, é importante que você conheça o Big Data, uma das novas tendências tecnológicas que prometem alavancar o setor de e-commerce mundial. É preciso entender que, na era da informação digital, gerenciar dados não é tarefa para qualquer um.

 

Empresas que pretendem manter a competitividade nos próximos anos devem saber não apenas como extrair um grande número de informações sobre o mercado, mas também compreendê-las. Assim, é possível utilizá-las no negócio, garantindo um número maior de vendas, serviços mais eficientes, clientes satisfeitos e até custos reduzidos.

 

Em termos simples, o Big Data permitirá que você otimize os resultados das campanhas de marketing de maneira automatizada, ágil e com muita precisão. A tecnologia é significativamente robusta no que diz respeito à capacidade de extrair grandes volumes de informações e analisá-las.

 

Como vimos, o e-commerce só tem a ganhar com as novas tendências tecnológicas previstas para os próximos anos. Portanto, está mais do que na hora de você começar a se atualizar para garantir uma ótima posição no mercado moderno.

 

Nosso conteúdo foi útil para você? Então, siga-nos no Instagram e no Facebook para acompanhar todas as novidades!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *