Tudo que você precisa saber sobre como cadastrar produtos no e-commerce!

por Junior Brandão

O cadastro de produtos no e-commerce é um dos principais pontos a serem considerados na construção da loja virtual. Trata-se de um processo que impacta diretamente no desempenho das suas conversões e, consequentemente, nas vendas. As informações que você vai apresentar, sua disposição e demais elementos influenciam na decisão de compra do consumidor.

cadastro de produtos para o e-commerce

Além de pensar na qualidade dos dados apresentados sobre os itens, há uma série de fatores a serem considerados para tornar o cadastro mais eficiente, capaz de passar confiança para o visitante e gerar vendas.

Um cadastro bem realizado tem o objetivo de alinhar as necessidades do público com as do negócio, de modo a oferecer uma navegação organizada e que transmita segurança. Neste artigo ,você vai entender a importância do cadastramento de produtos, quais técnicas são mais eficientes, entre outros pontos para tornar o processo um de seus diferenciais de mercado. Boa leitura.

 1. Qual a importância de ter um bom cadastro de produtos no e-commerce?

O cadastro de produtos é um processo que diz muito sobre o negócio online. Sua vitrine de produtos pode ser o primeiro contato do público com a sua marca e, portanto, deve traduzir quem é a empresa. Mais do que expor os produtos disponíveis no site, a forma como os itens são apresentados contribui para reforçar a identidade da marca, sua missão e valores.

Isso quer dizer que o negócio precisa passar organização, segurança e dinamismo para conquistar os visitantes. Quem acessa sua loja virtual está condicionado a uma série de elementos que vão contribuir ou não para que ele dê o passo seguinte. Cabe ao negócio planejar o cadastramento de produtos, a fim de gerar o máximo de conversões possíveis.

É importante ter cuidado com as descrições, uso de imagens e o detalhamento de todas as características das mercadorias no momento de cadastrar os produtos. Se as informações não forem suficientes, dificilmente os leads vão se sentir confiantes para concluir a compra, afetando o volume de conversões.

2. Como a padronização de nomenclaturas pode ser um diferencial?

A nomenclatura do produto é fundamental para persuadir o consumidor na compra. Refere-se ao título do anúncio e assim como a identidade visual precisa ter um padrão. Ao padronizar a nomenclatura, o negócio constrói sua identidade, facilita o entendimento do público do que é o item vendido já no primeiro contato, o que aumenta as chances de conversão.

O ponto-chave aqui é adequar a nomenclatura dos produtos para favorecer seu posicionamento frente aos buscadores. O intuito é atender a busca dos consumidores que utilizam a internet para adquirir produtos ou serviços. Seu negócio online pode ser percebido em diferentes canais, influenciando positivamente na geração de leads.

3. Quais fatores impactam nessa padronização?

O principal fator que impacta na padronização da nomenclatura é o nicho de atuação do e-commerce. Por isso estudar seu público-alvo e entender seus hábitos de consumo é tão importante para as estratégias do negócio (e não apenas a nomenclatura). Também é importante atentar às palavras-chave relacionadas ao produto e seu volume de buscas.

O recomendado é escolher palavras-chave ou expressões que demonstrem o que é o produto, em uma linguagem clara, acessível e em conformidade com as características do público. O que significa que termos técnicos ou de difícil memorização não devem fazer parte da nomenclatura e sim expressões comuns no vocabulário de seus consumidores.

A nomenclatura ideal para o produto deve trazer uma referência direta para as fotos cadastradas para que o consumidor possa associá-las em um primeiro olhar. Em alguns casos, é aceitável adicionar atributos básicos do item produto, como tamanho, cor, etc.

Em geral, o título do anúncio deve trazer as características mais importantes do produto, como modelo, marca e especificações, de forma organizada. Você pode adotar um padrão como:

Produto + marca + modelo + característica mais relevante + cor.

4. Quais as melhores práticas para fazer um cadastro correto de produtos?

A nomenclatura é o passo inicial, mas não é o único ponto a ser analisado no processo de cadastro de produtos no e-commerce. Vamos aos principais pontos a serem considerados.

4.1. Categorização de produtos

Produtos categorizados corretamente têm mais chances de serem vendidos, auxiliam na navegação e a visibilidade dos clientes, que podem encontrar o que querem com maior facilidade.

Por exemplo, ele pode procurar por uma camiseta masculina dentro do departamento de moda. Nesse caso será na subcategoria “Masculina/Roupas/Camisetas”.

Nota-se a ordem lógica da categorização, uma ordenação de informações sobre o item que cria um caminho intuitivo para o cliente, assim ele encontra mais de uma opção para o produto desejado.

Em outro exemplo, uma tabacaria tem uma menor necessidade de criar subdivisões em seu catálogo do que uma loja de eletrônicos. Enquanto a tabacaria terá uma maior necessidade de divisões de marcas ou quantidade, a de eletrônicos vai exigir mais subcategorias. O intuito é facilitar a navegação, fazendo com o que o cliente chegue ao produto.

A escolha vai depender das características do mercado, o perfil do público-alvo e as especificidades do produto, o que requer:

Entendimento do que seu público-alvo busca na internet;

  • empatia, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar do usuário que navegará pelo e-commerce;
  • avalie a praticidade e clareza das categorias durante a navegação do usuário pela loja virtual;
  • trabalhe ícones para facilitar a identificação das categorias.

Vale ressaltar que menos é mais, ou seja, o ideal utilizar poucas subcategorias. O intuito é destacar o produto e não seus atributos. Por exemplo, essa categorização pode ser de acordo com o tipo, como camisa masculina e camisa feminina e não camisa masculina azul, camisa masculina verde, camisa masculina listrada, enfim.

4.2. Uso de imagens adequadas

As imagens dizem muito sobre o e-commerce. Se estiverem desfocadas, com baixa resolução, não apresentarem as dimensões do item, forem retiradas de outro lugar que não seja do site fabricante ou ainda se o produto não apresentar nenhuma foto, o cliente pode desconfiar de sua integridade.

Por esses e outros motivos, é fundamental produzir imagens reais dos produtos à venda, atendendo aos seguintes padrões:

  • disponibilize imagens nítidas, bem iluminadas e que consigam ilustrar perfeitamente o produto;
  • resolução mínima de 640 x 480 pixels para imagens retangulares e 640 x 640 pixels para as imagens quadradas (recomendado 800 x 800);
  • não inclua informações temporais, como preço ou promoções nas imagens;
  • disponibilize várias imagens, com ângulos diferentes e relacionadas às suas variantes como cor e dimensões;
  • ofereça a opção de zoom.

A produção de boas imagens ajuda tanto na exposição dos produtos, como na estratégia de divulgação. No e-commerce é preciso ter fotos atraentes, bem produzidas, capazes de destacar os atributos dos itens e influenciar no poder de decisão dos visitantes. Portanto, cada detalhe é importante, desde a escolha do item, à edição e escolha das palavras para nomear as imagens.

4.3. Encontre as palavras-chave ideais

Palavras-chave (keywords) são os termos de uma ou mais palavras empregadas em textos e títulos para influenciar no ranqueamento dos buscadores, assim quando um usuário escreve sua dúvida no Google ou outro buscador no intuito de obter respostas pode encontrar um conteúdo com essas palavras.

As palavras-chave vão servir para a nomenclatura, compor a descrição (inclusive subtítulos), nomear as imagens, tags e meta description. Quanto mais relevantes , maiores as chances do usuário encontrar o seu conteúdo quando fizer pesquisas nos buscadores, redes sociais ou fóruns.

Elas são classificadas da seguinte forma:

  • palavras-chave de cabeçalho — compostas de uma ou duas palavras: camisa polo, sapato social;
  • palavras-chave de cauda longa — compostas por três ou mais palavras, formando ou não frases: camisa polo Lacoste, sapato social para terno;
  • palavras-chave de navegação — são aplicadas para marcas ou site: Facebook, YouTube ou Google;
  • palavras-chave de informação — são aplicadas em conteúdo que ensinam algo ou abordam um tema específico: “como fazer arroz” ou “quais as melhores opções de presente de fim de ano”;
  • palavras-chave transacionais — são utilizadas pelos consumidores que digitam nos buscadores algo que querem comprar: “comprar camisetas online”.

A escolha vai depender de uma série de fatores, contudo, quem melhor para definir os termos-chave do produto ou serviço que oferece do que você, que pode se valer de sua experiência para isso. Comece com um exercício de brainstorm, colocando no papel todos as palavras associadas ao seu mercado de atuação, itens que comercializa e o nicho o qual está inserido.

A partir daí você pode utilizar de ferramentas que apontam os termos mais buscados para fazer um comparativo e assim determinar quais as mais eficientes. Entre as ferramentas, se destacam o Google Trends e Google Keyword Planner.

4.4. Google Trends

O Google Trends (tendências, em português) permite acompanhar a evolução do volume de buscas de uma ou mais keywords em períodos. A pesquisa pode ser refinada de acordo com critérios como país, período (nos últimos dois dias ou horas), por categorias (entretenimento, artes, economia) e tipo de buscas (web search, imagens, notícias, etc).

Esses resultados são coletados pelo Google, que os organiza, conecta a tópicos e remove informações pessoais, excluindo os dados pesquisados por poucas pessoas e buscas de termos por um mesmo usuário em um curto período.

O recurso tem uma série de funcionalidades como:

  • mostra os termos mais pesquisados pelos usuários, auxiliando no SEO;
  • ajuda a ter ideias de conteúdo;
  • permite encontrar tendências relacionadas ao negócio;
  • permite comparar termos e sua incidência.

4.5. Google Keyword Planner

O Google Keyword Planner (Planejador de Palavras-chave) está incluso nas contas do Google Ads e tem o intuito de ajudar a encontrar palavras-chave mais adequadas para suas campanhas de conteúdo, anúncios, SEO e muitas outras coisas.

O recurso oferece uma série de benefícios:

  • oferece ideias de palavras-chave para usar em diferentes tipos de conteúdo;
  • oferece a possibilidade de conhecer o volume de pesquisas de uma palavra-chave;
  • permite importar a lista de palavras-chave em uma planilha;
  • facilita a escolha de temas e subtemas do seu blog ou site;
  • permite fazer pesquisas por localização geográfica;
  • mostra a concorrência da palavra-chave;
  • auxilia você a concentrar seus esforços na qualidade das palavras e não em sua quantidade.

4.6. Otimize a navegação

As páginas de produto são construções simples. Trazem um título, imagens do produto, descrição, preço, formas de pagamento e campo para comentários e avaliações dos compradores. São informações que o consumidor precisa para fazer uma compra consciente, mas que, ao mesmo tempo, possam convencê-lo de que aquela opção vai sanar seus desejos.

Uma navegação otimizada conquista a confiança do público por meio de informações precisas, criando um processo de compra intuitivo e simples. Para isso, a página do produto tem quatro elementos básicos:

  • o produto;
  • sua marca;
  • suas estratégias de marketing;
  • o layout intuitivo para proporcionar uma experiência rica ao usuário.

Produto — vai ocupar a posição mais importante dessa hierarquia, entretanto, a natureza do item vai definir a forma como ele será anunciado e exposto.

Marca — precisa ser apresentada, mesmo que no rodapé, contudo o ideal é que esteja em um lugar de destaque. Isso porque o visitante pode vir de vários lugares, como redes sociais, buscadores, mensagens de chat, entre outros e nem sempre ele vai acessar sua página conhecendo sua loja. Portanto, exiba sua marca em um local de destaque.

Estratégias de marketing — pode ser a indicação para outro produto como cross selling (itens complementares) e up selling (itens mais sofisticados que o usuário está visualizando) ou outra estratégia de conversão que reforça a identidade da sua marca.

O layout intuitivo para proporcionar uma experiência rica ao usuário — vai envolver todos os aspectos acima descritos focados em converter e fidelizar. Tudo vai depender da usabilidade e posicionamento dos itens na página, suas cores e informações nela presentes.

Entre os itens de navegação que precisam de planejamento estão:

  • botão de “adicionar ao carrinho” ou “comprar” em local visível;
  • imagem do produto em destaque;
  • preço, formas de pagamento e possibilidade de parcelamento;
  • descrição detalhada do item com informações gerais e específicas.

A diferença entre uma boa página de produto e uma página medíocre é sua otimização. Quanto mais simples, limpa e intuitiva, mais segurança ela passa e maiores são as chances de conversão.

4.7. Considere utilizar vídeos

O público precisa saber o máximo possível de detalhes do item que pretende adquirir, já que não podem tocá-lo até que chegue em sua casa. Por esse motivo, adotar vídeos nas páginas de produtos permite demonstrar de forma completa o visual e as especificidades do produto, como design ou ainda demonstrar seu funcionamento.

Ademais, os vídeos são muito populares entre os internautas. A partir dele é possível conectar o consumidor com sua marca e produtos, de uma forma rápida e interativa, gera engajamento com o público, entre outros benefícios dos quais podemos destacar:

  • É um recurso a mais para a tomada de decisão do consumidor;
  • possibilita a apresentação de mais detalhes sobre os produtos;
  • aumenta o volume de interações;
  • aumenta o tempo de navegação do visitante;
  • facilita o entendimento do cliente em relação a um produto ou serviço;
  • a credibilidade do e-commerce aumenta,
  • viabiliza o compartilhamento mais natural da marca.

4.8. Automatize se necessário

O tamanho da operação, da equipe e a quantidade de produtos desproporcionais pode ser a realidade de muitas companhias que atuam no meio digital. É comum a realização de muitas tarefas e sua execução pode comprometer a parte operacional, o que exige a automatização de processos.

Nesse cenário, automatizar o cadastramento de produtos no e-commerce se torna a opção mais viável. A automatização é recomendada especialmente quando a operação envolve a venda também em marketplaces, pois facilita múltiplos cadastros. Imagens, descrições, preços, tudo pode seguir um padrão, independente da plataforma de marketplace utilizada para expor os produtos.

Além disso, se for necessário fazer alguma alteração na nomenclatura, descrição, adicionar imagens etc., não será preciso ter de acessar todas as plataformas e editar os anúncios. Basta fazer o trabalho uma só vez e programar o software para fazer as modificações em todas as páginas.

Um dos principais benefícios são os relatórios gerados, que auxiliam na estratégia como um todo. São informações sobre quantidade de vendas, visualização de anúncios, entre outras métricas que auxiliam na tomada de decisões.

Essa tecnologia permite manter as páginas de produtos frequentemente atualizadas, proporcionando a agilidade no cadastro que o negócio demanda. A ideia é evitar o desperdício de tempo e utilizá-lo para outras atividades estratégicas, como o desenvolvimento de campanhas de marketing e relacionamento, entre outras inovações para seu e-commerce.

4.9. Dê atenção a meta description

A meta description é uma descrição rápida sobre o conteúdo das páginas encontradas nos resultados dos buscadores e nas redes sociais. No Google, são aqueles pequenos textos abaixo do título dos resultados das buscas que resumem o que é possível encontrar se o usuário clicar no título.

Esse texto também é um fator de ranqueamento relevante para o SEO e uma ótima forma de atrair o usuário. Com ele é possível convencer o leitor a acessar a página, visualizar o produto e dar sequência ao processo de compra. É um resumo, que funciona como um teaser sobre o que o usuário pode encontrar e o que ele tem a ganhar acessando aquele conteúdo, o que influencia na decisão de clicar no seu título.

A meta description pode ser elaborada no momento do cadastramento do produto ou pelo próprio mecanismo de busca de forma automática, que seleciona um trecho da descrição do item e transforma na meta description. Apesar dessa facilidade, o recomendado é desenvolver seu próprio texto de forma criativa, objetiva e atraente (tudo isso em apenas duas linhas).

Atente para os seguintes pontos:

  • seja interessante e único — o ideal é evitar clichês, ser objetivo e apresentar o que o usuário vai encontrar de forma enfática, afinal são só duas linhas;
  • utilize suas palavras-chave — as meta descriptions também auxiliam no ranqueamento, por isso faça uso delas de forma natural, de modo a educar o leitor sobre o conteúdo da página;
  • call to action — são chamadas para que o usuário realize uma ação com intuito de convencer o usuário. Chamadas como “clique aqui”, “saiba mais sobre assunto” são comuns e bastante efetivas para orientar o público;
  • testes — após concluir sua meta description, tente outras variações de texto e verifique qual delas atraiu mais cliques e adote esse mesmo padrão nos textos futuros.

5. Por que investir em tutoriais?

Nem sempre o gestor é o responsável pelo cadastramento de produtos no e-commerce e precisa delegar essa função a outros colaboradores. Se for esse o caso, é importante investir em tutoriais para que os itens sejam cadastrados de acordo com as necessidades do negócio. Tudo precisa ficar bem entendido, uma vez que há padrões que devem ser seguidos para ajudar no desenvolvimento da identidade da marca.

Os tutoriais são a melhor forma de alinhar essas necessidades com a política da empresa, as orientações dos buscadores e dos marketplaces.

6. Como uma agência especializada pode ajudar?

A agência vai prestar toda uma consultoria de acordo com as especificidades do e-commerce, trazendo uma série de benefícios à loja virtual. Não basta simplesmente cadastrar os produtos e esperar que os clientes os visualizem. São muitas as oportunidades e muitas vezes os gestores não conseguem visualizá-las, por isso contar com ajuda de profissionais faz toda a diferença.

Uma agência especializada vai orientar os principais pontos, identificar oportunidades no cadastramento, organização, criação de categorias, no conteúdo das descrições, meta descriptions, entre outros pontos que compreendem maior competitividade ao negócio.

Como evidenciado, o cadastro de produtos no e-commerce não é tão simples quanto parece. Negligenciar sua importância pode não trazer os resultados esperados pelos gestores. Tudo deve ser pensado para garantir uma navegação que o visitante se sinta confortável e atraído pelo portfólio da loja virtual.

Mais do que encantar e despertar a necessidade de compra, o cadastro de produtos deve influenciar na decisão de compra. Daí a necessidade de seguir uma padronização e se valer de recursos para ampliar o interesse do público, aproximá-lo da marca e assim criar um diferencial competitivo frente aos demais concorrentes.

Gostou do conteúdo? Entre em contato com a Agência Auaha e entenda como podemos auxiliar nesse e em outros pontos para o sucesso do seu negócio online.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.