Como montar uma loja virtual: 9 passos para o sucesso

por Carolina Coimbra

Como montar uma loja virtual é uma das dúvidas mais frequentes para os empreendedores que desejam iniciar no mercado digital. 

O crescimento do e-commerce no Brasil acontece a passos largos. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Big Data, publicada em 2019, haviam aproximadamente 450 mil sites dedicados ao comércio eletrônico no país.

Enganam-se os varejistas que pensam que a aparente facilidade de vender pela internet é suficiente para alcançar o sucesso. Antes de se deixar levar pela empolgação de estar presente no meio digital, é importante lembrar que, como o varejo físico, o comércio eletrônico também exige planejamento, estudo de mercado e investimento – seja de tempo, dinheiro ou esforços.

Esses pontos são definitivos no desafio de construir, manter um e-commerce saudável e, claro, não entrar para as estatísticas: 60% das lojas online no Brasil fecham antes de completar um ano de atividade.

Calma, respira fundo e vamos lá: explicamos o que você precisa saber para tomar as principais decisões, tirar as dúvidas e esclarecer tudo sobre o comércio eletrônico. Boa leitura!

1 – Trace e planeje um investimento

Já sabemos: sem planejamento, o negócio não terá um rumo a seguir. Mas você sabe o que é planejamento? Planejar significa definir como os processos serão conduzidos até chegar aos objetivos finais.

Então, ao invés de se desesperar pensando nos valores que serão investidos inicialmente, pense e planeje as suas finanças. A dica de ouro é: 

Divida o montante inicial que você tem para investimento em 12 partes iguais

Assim, você poderá investir 1/12 do valor por mês, garantindo capital suficiente para o primeiro ano de atividades. E não se esqueça que o valor de investimento pode variar de acordo com o tipo de produto, estrutura, contratos e serviços contratados pela sua loja.

2 – Decida onde vender

Ao montar uma loja virtual, é necessário pensar em todos os investimentos para que a operação funcione com eficiência.

Demandas como plataformas, meios de pagamentos, segurança, estrutura física, logística, backoffice, marketing e atendimento, exigem preparo e investimento.

Para estar presente no mercado digital, você pode escolher entre ter a sua própria loja virtual ou começar a vender somente por meio de marketplaces.

Loja virtual

Ter seu site próprio é o sonho de consumo de muitos aspirantes e empreendedores, mas, como qualquer plataforma, tem seus pontos fortes e fracos. 

Confira os principais abaixo.

  • Vantagens: autonomia, o canal de venda com maior potencial, disponibilidade 24 horas, menos custos de manutenção e alcance de mais clientes.
  • Desvantagens: necessidades de investimento, dificuldade para trazer tráfego, gerenciamento do envio de produtos, impossibilidade de testar o produto e espera pelo produto.

Marketplace

Os marketplaces são plataformas em que os vendedores podem oferecer produtos para clientes online através de sites específicos, que atingem o público mais interessado no segmento. 

Conheça alguns pontos fortes e fracos abaixo.

  • Vantagens: milhões de clientes te esperam, investimento menor, visibilidade, bons ranqueamentos nos mecanismos de busca, leque de produtos.
  • Desvantagens: dependência, concorrência e dificuldade em estabelecer a personalidade da marca.

Se você deseja saber mais sobre como escolher a plataforma mais adequada para o seu negócio, clique  aqui.

3 – Faça um mapeamento do público-alvo

Definir o seu público-alvo é uma etapa super importante para estabelecer o leque de produtos que você deve oferecer em sua loja e garantir uma grande rotatividade.

Além disso, somente conhecendo o seu cliente – como quais são os seus comportamentos online, hábitos e apelo comercial – você consegue trabalhar melhor promoções, ofertas e coleções.

Como nem tudo é sobre as vendas, outra vantagem muito válida de ter o público bem definido é saber como se comunicar com ele, uma vez que os conteúdos, a linguagem e o visual nas redes sociais são decisivos para o marketing, promovendo a interação e o crescimento orgânico.

Entenda a relação das personas e do público-alvo com as estratégias de marketing digital em um clique.

4 – Escolha bons fornecedores

No planejamento para montar uma loja virtual, escolher bem seus fornecedores é um dos pontos principais. Isso porque é através dos seus produtos que a reputação da sua loja será construída. Então, não perca tempo e comece a pesquisar.

Procure fornecedores que, antes de mais nada, ofereçam qualidade. Pesquise quem pode te atender melhor, as condições de pagamento que oferecem, prazos de entrega, condições de produção e reputação no mercado.

Tenha em mente também que os produtos precisam chegar em boas condições ao seu destino, então, fornecedores que ofereçam embalagens adequadas são um diferencial na hora de fechar negócio.

Depois de muita pesquisa, você precisa analisar a lista de possíveis fornecedores e analisar quem cumpre com seus requisitos e tem o melhor preço. Para isso, faça acordos de preços para quantidades menores e, faça testes nos primeiros meses de vendas, como a possibilidade de fazer a retirada dos produtos para diminuir o custo total.

5 – Determine o mix de produtos da loja

Agora que você já sabe qual é o nicho do seu e-commerce, público-alvo e fornecedores, chegou a hora de determinar o mix de produtos.

O mix é o conjunto de produtos que tem o maior potencial de vendas junto ao seu público-alvo. 

Embora não haja uma fórmula que te garanta o mix perfeito, há várias dicas para te ajudar o que mais funciona para o seu negócio. Listamos algumas aqui:

  • Foque em apenas uma categoria de produto;
  • Torne-se especialista no seu nicho de mercado;
  • Seja consistente na escolha das mercadorias;
  • Acompanhe o desempenho de suas vendas;

Quando você delimita o seu mix de produtos de acordo com o nicho que quer atingir, é mais fácil tornar-se expert e ser reconhecido como autoridade de vendas naquele segmento.

6 – Segurança é crucial no e-commerce

A segurança é um dos fatores mais importantes quando o assunto é e-commerce. 

Já que o cliente vai compartilhar dados pessoais e bancários com o sistema, ele precisa se sentir seguro ao realizar uma compra, sem se preocupar com problemas de vazamento de informações e ações fraudulentas.

Isso pode ser feito através de:

  • Certificados de segurança, como o SLL – Secure Sockets Layer, que permitem uma comunicação autêntica e conexão confiável através de criptografia;
  • Uma boa solução de pagamentos que ofereça segurança nas transações;
  • Selos de segurança, que são dados por empresas especializadas no ramo;
  • Uso de computação em nuvem para armazenar os dados.

7 – Construa processos eficientes de logística

É na logística que se concentram os maiores problemas e insatisfações dos clientes. Por isso, você deve estar preparado para atender o cliente no prazo estipulado, contornar imprevistos no processo de entrega, não perder margem de lucro e não permitir que a logística reversa – quando um cliente precisa devolver o produto – seja de alto custo para a operação.

Hoje, os meios mais usados para realizar entregas online são os Correios e as transportadoras particulares. 

Nos Correios, a principal vantagem é que o pagamento do frete pode ser por meio de uma fatura e a desvantagem está no limite de 30 kg para envios.

Já nas transportadoras, não existe restrição de peso para encomendas e não há riscos de greve. Em contrapartida, os preços não são competitivos com os Correios.

8 – Entenda a legislação para e-commerce

Além de ter características muito próprias, o e-commerce também tem alguns pontos na legislação muito particulares, como o Decreto Federal 7.962/13 A Lei do E-commerce.

Com ela, fica estabelecido que algumas informações no site da loja precisam estar claras e de fácil acesso, como a razão social, o endereço físico, CNPJ, telefone para contato e formulário de contato ou e-mail.

Na página do produto, as informações devem estar claras e detalhadas e as opções de pagamento – como parcelamento e incidência de juros – e os prazos de entrega também devem estar em local privilegiado na página.

Ainda é importante que o cliente tenha até 7 dias – a partir da data de entrega da mercadoria – para se arrepender da compra.

9 – Lembre sempre do marketing digital

Com a sua loja no ar ou presente nos marketplaces, o marketing digital é o seu maior aliado para aumentar as vendas, seja por meio de anúncios, redes sociais, blog, e-mail ou outros.

O marketing digital não deve ser focado somente em vendas, mas sim, em criar conteúdos que chamam a atenção, engajam e despertam o desejo de comprar nos clientes.

Montar uma loja virtual do zero pode ser muito mais trabalhoso do que você imaginava, mas agora você já tem uma visão geral sobre o que deve ser considerado no seu planejamento.

Em nosso blog, você encontra vários conteúdos como este para estar sempre por dentro do que acontece no mundo do e-commerce, vendas, marketing, performance digital e mais.

A Auaha é especialista em encontrar as melhores soluções digitais para a sua marca. Fale conosco e saiba como!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.