O impacto do coronavírus no e-commerce

por Eduardo Leda

A pandemia do Covid-19, o novo Coronavírus, causou um grande impacto na sociedade. De uma hora pra outra, tudo mudou, muitas coisas podem não voltar a ser como antes.

Com o objetivo de analisar e orientar o mercado, este artigo mostra os primeiros dados coletados sobre o impacto do coronavírus  no e-commerce e nos hábitos de consumo. Além disso, vamos utilizar os dados para indicar o melhor caminho para cada setor se recuperar.

Sabemos que o momento é delicado, mas mantenha a calma, analise os dados e tome atitudes que irão fornecer resultado a longo prazo, atendendo o consumo básico para se manter e superar as dificuldades. Vamos juntos?

Recuo do consumo físico

O primeiro ponto importante de analisar é o recuo no consumo em lojas físicas. Com o isolamento e apenas serviços básicos em funcionamento, muitas lojas precisaram mudar a sua forma de atendimento.

Supermercados e restaurantes, assim como as farmácias, são os setores que mais cresceram no meio online durante o pico inicial. É possível notar então que as pessoas estão buscando alternativas ao consumo mais básico, evitando sair de casa, de acordo com as recomendações das autoridades de saúde.

Mudanças na rotina

O dia a dia das pessoas está diferente. Se antes se acordava, tomava o café da manhã e ia ao trabalho acompanhando as notícias do mundo, hoje essa última etapa não está mais presente para muitas pessoas.

Essa simples alteração resulta em uma mudança comportamental em todos os públicos, que começam a checar notícias, redes sociais e, consequentemente, anúncios de ofertas, cada vez mais cedo.

Além disso, como elas consomem o conteúdo mais cedo, também há mais tempo posteriormente para procurar novidades e atualizações, o que tem acontecido através de dispositivos diversos, marcando que um site preparado para o mobile continua sendo beneficiado por seu layout responsivo.

Avanço de marcas para o mercado online

Como o mercado de vendas online, à distância, é o único que se mantém ativo e seguro para trabalhar, há um grande número de marcas avançando e se estabelecendo nesse setor.

Isso provoca um grande aumento de concorrência por atenção do usuário. Há uma grande infinidade de comerciantes e prestadores de serviço que agora estão em busca de clientes através do mercado digital.

O cliente pensa mais antes de comprar

O poder de compra do público não é o mesmo. Com a crise, necessidades básicas como alimentação e saúde ganham prioridade máxima, seguida dos gastos com moradia.

Isso resulta em um cliente que sim, continua a comprar, mas pensa muito mais antes de efetuar a compra, para garantir que aproveitou a melhor oferta e que o produto é realmente importante para aquele momento.

Pesquisas realizadas pela Social Miner apontam que o público pesquisa os produtos mais cedo, com o pico de interação no período da manhã, para voltar mais tarde e realizar a compra.

Assim como falado anteriormente, a importância de se apresentar de maneira plena em diferentes dispositivos e canais de atendimento é essencial. O cliente pode ver a oferta no celular e depois realizar a compra no computador, ou vice-versa.

Nesse momento, é muito importante estar preparado para atendimento e interação em diferentes dispositivos e canais.

Estratégias para sua marca sobreviver ao Covid-19

Pensando em auxiliar o dono de e-commerce, seja iniciante ou não, reunimos aqui algumas estratégias importantes para serem implementadas, com base nos dados de pesquisa apresentados:

  •  Faça uma análise do seu público: Utilizar os dados de acessos nos seus canais de venda e atendimento, incluindo site e redes sociais, para identificar os picos e hábitos do seu público. Se possível, compare valores com o que era comum no mesmo período no ano anterior, para ajustar as suas estratégias de acordo com o momento;
  • Invista nos picos de acesso: Ao constatar os horários que os acessos da sua audiência acontecem, invista suas melhores ofertas nesse período, otimizando suas chances de conversão;
  • Invista em conteúdo: O número de vezes que o público acessa as redes sociais e lojas virtuais está aumentando, por conta de quem está sem trabalho, trabalhando em casa ou simplesmente por falta de outras formas de entretenimento. Investir em conteúdo, não apenas em ofertas, garante uma melhor relação com o público, que busca ocupar o tempo com o que você tem a oferecer.

  • Ofertas pontuais: Como o cliente está dando prioridade máxima para artigos de necessidade, ofereça produtos que se encaixam nessa categoria. Para estimular a compra, criar ofertas do dia, com tempo limitado de validade, podem ser úteis.

  • Entenda o momento: O momento pelo qual seu público está passando é muito delicado e isso tem um impacto forte na maneira que ele enxerga o seu negócio. Se a sua marca adotar uma estratégia focada na empatia, buscando maneiras de ajudar o público nesse momento difícil, a sua imagem fica mais amigável, mesmo quando as coisas se normalizarem, tendo um efeito positivo a longo prazo.

    No mesmo raciocínio, ao notar que uma marca está se aproveitando da situação, há muitas chances de perder a confiança do público e causar danos permanentes a forma como sua marca é percebida.

Em geral, é importante mostrar união e empatia. Todos estamos passando por uma situação cheia de receios e dificuldades. Precisamos fazer parte da solução, dando suporte aos mais necessitados e buscar que o consumo básico, atento às necessidades, seja priorizado.

Pense em ofertas que tenham benefícios reais para seu cliente, mostre seu lado humano tanto para oferecer quanto pedir apoio, e atue de forma consciente.

Se precisar de ajuda para colocar sua loja na internet ou divulgar o seu negócio em meio ao grande número de anunciantes online, fale conosco.

A Auaha possui pacotes personalizados e pode desenvolver uma estratégia eficiente e ágil para facilitar a sua aquisição e manutenção de clientes. Veja o que podemos fazer por você clicando aqui!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.