Como foi a Black Friday 2020 e o que mudará nos próximos anos

por Carolina Coimbra

A Black Friday já passou, os resultados chegaram e o período pós venda está só começando.

Segundo a consultoria Ebit, os dois dias da Black Friday 2020 (26 e 27 de novembro) geraram receita de aproximadamente R$4,02 bilhões no e-commerce, alta de 10,3% em comparação aos R$1,9 bilhão registrados no mesmo período de ofertas do ano passado.

Por isso, separamos todas as informações que você precisa saber para os próximos anos. Comece os preparativos e continue lendo para se informar com a gente!

Como foram as vendas?

O levantamento realizado aponta que foram mais de seis milhões de pedidos gerados, 15,5% acima dos números registrados em 2019, e um ticket médio de R$652, sendo 8,3% maior que no último período.

Ainda segundo a Ebit | Nielsen, a Black Friday 2020 mostrou um novo comportamento tanto do consumidor quanto das empresas, uma vez que o esquenta deste ano ganhou mais relevância e revelou que um esquenta Black Friday mais forte é uma tendência para os e-commerces nos próximos anos.

Como a pandemia impactou na Black Friday?

Com a pandemia do novo coronavírus (covid-19), os consumidores adotaram um comportamento diferente.

A data sempre foi um marco das vendas digitais. Sendo assim, o efeito das restrições às lojas físicas, devido aos casos da covid-19 no país, resultou em números elevadíssimos nas vendas online.

De acordo com o ICVA (Índice Cielo de Varejo Ampliado), que acompanha 1,5 milhão de varejistas credenciados à empresa de meios de pagamentos, houve um declínio de 25,5% no varejo físico, enquanto o comércio digital apurou alta de 21,2%.

É possível aproveitar os descontos da Cyber Monday?

Se você ainda não conhece a data ou a sua origem, nós te explicamos. A Cyber Monday foi criada em 2005 nos Estados Unidos, acontece na primeira segunda-feira após o Dia de Ação de Graças e, assim como a Black Friday, também traz descontos agressivos – de até 80% – em diversos produtos.

As vendas da Cyber Monday são feitas exclusivamente online, com ações de marketing voltadas apenas para essa modalidade e a data chegou para ficar também no Brasil, onde é popularmente conhecida como “ressaca da Black Friday”.

Inicialmente, o dia de promoções era uma forma de se contrapor, já que a Black Friday era historicamente mais ligada às lojas físicas.

Com o passar do tempo, as grandes redes de varejo americanas passaram a vender também pela internet e as duas datas acabaram se misturando. Atualmente, a maioria das empresas do setor aproveita tanto a Black Friday quanto a Cyber Monday para realizar promoções especiais em todos os lugares do mundo.

Como fidelizar os clientes da Black Friday?

Além de alavancar as vendas, é muito importante que as lojas foquem também em atrair e fidelizar mais clientes.

Listamos as principais formas de fazer com que os clientes da Black Friday retornem à sua loja. Confira abaixo!

Não descuide do atendimento ao cliente: a sua loja deve oferecer um bom pós venda, pedir feedbacks sobre a experiência e, se houver problemas com as compras, se disponibilizar a buscar soluções efetivas, seguindo as regras do Código de Defesa do Consumidor.

Respeite o intervalo de compra do cliente: antes de ofertar novos produtos aos clientes que estão retornando à loja, lembre-se de considerar os tipos de produtos vendidos e o perfil do cliente para determinar qual seria o prazo de recompra, que costuma variar entre 30 e 180 dias.

Elabore uma boa estratégia de e-mail marketing: o e-mail marketing é uma excelente estratégia para manter a comunicação com o cliente. Então, o foco inicial deve ser enviar agradecimentos, conteúdos relevantes para o cliente e evitar mandar vários e-mails logo após a BF com promoções genéricas.

Ofereça produtos complementares: verifique quais produtos foram comprados, analise as informações sobre o consumidor e identifique outros itens que podem ser interessantes. Considere também a possibilidade de oferecer descontos exclusivos para incentivar a finalização da venda.

Tenha promoções exclusivas: a verdade é que todo mundo ama bons descontos. Um meio de incentivar o retorno do cliente é ofertar um cupom ou porcentagem de desconto para compras acima de determinado preço.

Caso queira saber mais sobre o assunto, sugerimos que leia o nosso artigo “6 dicas para estratégias de relacionamento pós-Black Friday para conquistar o cliente”.

Como a Black Friday deve ganhar forças nos próximos anos?

Com períodos maiores de tempo, o comércio se torna mais rentável e pode repassar melhores descontos nos preços, o que resulta em mais lucros no fim do dia.

Diante de um cenário global inesperado, o comércio eletrônico é um setor promissor no mundo pós-pandemia. O motivo é claro: o delivery passou a ser uma alternativa real mesmo para quem não era fã das compras pela internet.

Segundo a pesquisa TIC Domicílios, 70% da população brasileira utiliza a internet. Desse número, 48% usou algum tipo de serviço online durante a quarentena em atividades de e-commerce, como aplicativos de carros, serviços de streaming de filmes e música, ou pedido de comida.

Acredita-se que o comportamento da população poderá ser diferente daqui para frente e o povo brasileiro – conhecido mundialmente pelo seu calor humano e muitos beijos e abraços – também mude um pouco o perfil amistoso.

Pessoas que nunca compraram pela internet, podem ter a sua primeira experiência agora e, talvez, transformá-la em um novo hábito. Então, as grandes promoções online ganharão destaque.

Sendo assim, se você tem um mercado ou loja física, agora é um ótimo momento para explorar o comércio eletrônico. Afinal, quem melhor se adaptar é quem sairá fortalecido da situação e estará firme e forte no ambiente digital.

Como foram as vendas de Black Friday por aí? Se você curtiu o nosso conteúdo e acredita na força do e-commerce, não perca tempo!

A Auaha é especialista em soluções digitais para alavancar a sua marca. Fale conosco!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.