Por que a Black Friday é tão importante para o E-Commerce

por Mayara Sueto

Estamos a menos de um mês de uma das datas mais importantes do comércio mundial: A Black Friday.

Marcada, tradicionalmente, para a última sexta-feira do mês de novembro de todos os anos, a Black Friday tem origem americana, onde as lojas, procurando os consumidores que desapareciam, após o feriado de Ações de Graças, fazia grandes promoções de produtos de desejo e com isso, foi atraindo cada vez mais adeptos. 

No Brasil, a Black Friday ganhou mais peso no começo dos anos 2000 e hoje, se tornou uma das datas mais esperadas pelo consumidor brasileiro, junto do Natal, Dia das Mães e Dia das Crianças.

Já para os lojistas, essa data representa mais que apenas vendas, mas também, um possível equilíbrio para as vendas e as contas das empresas. 

E se no comércio físico as vendas têm grandes destaques, a data é ainda mais esperada para lojas onlines, que se preparam com até um ano de antecedência para fazer uma Black Friday que realmente pode fazer a diferença no mercado. 

Um dos maiores exemplos sobre planejamento, marketing e vendas é a Magazine Luiza, que conseguiu envolver o público-alvo de suas lojas físicas e online, não apenas pela presença dela em diversas cidades do Brasil, mas principalmente, por suas promoções relâmpago nas redes sociais. 

No ano passado, a empresa vendia lotes de produtos que iam de R$ 29,00 a R$ 999,00, mas com um detalhe bem chamativo: você comprava o produto no escuro e descobria o que havia adquirido apenas quando ele chegava em sua casa. Nisso, consumidores compraram notebooks, televisores, smartphones e cafeteiras por menos da metade do preço. Claro que a ação rendeu reclamações de pessoas que não conseguiam comprar, mesmo estando bem atentos, entretanto, a empresa avaliou a ação como um sucesso e todos, sejam empresas, concorrentes ou clientes, estão ansiosos para ver qual ação a Magazine lançará esse ano. 

O CRESCIMENTO DA BLACK FRIDAY NO ANO DE 2018

E se a Magazine é um dos grandes exemplos de campanha e pluralidade de atendimento, outras empresas também conseguiram seguir o caminho de boas vendas e resultado positivo na Black Friday. 

Segundo o E-Bit, o e-commerce cresceu em mais de 23% nas vendas de Black Friday no ano de 2018, se comparado o ano de 2017. Para se ter noção de como o número surpreendeu até especialistas, a própria empresa estimava um crescimento de 15% se comparado ao ano anterior. 

O motivo para o sucesso tem ramificações. Segundo o estudo realizado pela empresa, a véspera da Black, que aconteceu excepcionalmente no dia 22/11, ou seja, na penúltima quinta-feira do mês, teve uma inesperada enxurrada de pedidos, com empresas começando a Black já na quinta-feira, para aquecer a sexta-feira. A maiorias das pessoas entenderam que a Black Friday brasileira começava já na quinta-feira a noite e ficaram a postos para as compras e as empresas não decepcionaram, com campanhas pesadas e promoções reais. 

A preparação das empresas é, também, um dos motivos apontados para o sucesso da Black Friday de 2018. Se antes, as empresas eram acostumadas a esperar até a data se aproximar para se prepararem, no ano passado, as empresas pensaram em como poderiam surpreender seus clientes em uma data onde tudo é esperado. O resultado: campanhas extremamente criativas e chamativas, que poderia atrair até o mais controlado dos consumidores. 

O fator de a Black Friday de 2018 ter ficado mais próxima do pagamento do adiantamento salarial da maiorias dos consumidores foi outro fator que a empresa de pesquisa considerou como primordial para as vendas acima da média. 

Outro ponto a ser colocado foram as promoções reais! No ano de 2018, apesar do aumento de reclamações (foram mais de 5 mil reclamações com a tag Black Friday no Reclame Aqui), a quantidade de empresas que estavam dando descontos reais em seus produtos foi maior e os consumidores puderam aproveitar para comprar aquele produto que estavam de olho há algum tempo. 

E por falar em produtos, não podemos deixar de lado as categorias que mais venderam. Se na quinta-feira as que mais se destacaram, foram: perfumaria e cosmético. Na sexta-feira, quando os negócios estavam ainda mais fortes, os smartphones, os produtos de linha branca e os televisores foram a bola da vez.

Surpreendentemente, no ano de 2018, não apenas as vendas aumentaram consideravelmente, mas também o tíquete médio das compras. Segundo o E-Commerce Brasil, o aumento foi de mais de 13%, se comparado ao ano de 2017. 

Outro ponto positivo é que o ano de 2018 carregou a faixa de vencedora após ter superado todas as Blacks anteriores e às 17 horas da sexta-feira, já havia um número de vendas e transações maior do que no ano de 2017, que também superou o ano de 2016. 

Após todos esses pontos positivos, o que devemos esperar da Black Friday de 2019?

UMA BLACK DE SUCESSO!

Não há dúvidas que se, todos os anos as Blacks vêm se superando, mesmo com a crise no país, o ano de 2019, não será diferente.

Estima-se que para esse ano, o crescimento em transações e vendas de será em torno de 18%. Pode parecer menos que no ano anterior, mas devemos nos lembrar que esse resultado é baseado no valor do ano de 2018, que já foi 24% maior que no ano de 2017 e que a previsão do ano de 2018 era de apenas 15%, o que depois, se mostrou, no resultado final, muito maior que a previsão. 

Isso já é motivo o suficiente para o lojista brasileiro olhar com bons olhos o consumidor de Black Friday e focar diretamente em campanhas e planejamentos para essa data. Apesar de faltar pouco para isso, ainda não é tarde. 

E por falar em planejamento, quem tem o encontro de loja virtual e física, deve mais do que nunca pensar em juntar as operações e focar não apenas em uma delas. Segundo o G1, pela primeira vez na história da Black Friday brasileira, o comércio digital atingirá o mesmo número do comércio físico e para 39% dos consumidores que compram online, a opção de retirar na loja faz diferença na hora de adquirir um produto. 

Então, se você tem essa possibilidade, está na hora de usar suas armas para vender ainda mais em 2019. Entretanto, você já está atrás, se imagina que a Black Friday acontece apenas na sexta-feira. 

Hoje, os consumidores entendem que a Black brasileira começa na quinta-feira a tarde, próximo do começo da noite, por isso, já ficam ligados em campanhas e promoções. Segundo estudos do Google, mais de 70% dos consumidores que pretendem comprar na Black Friday de 2019 entendem que a Black começa na quinta-feira e vai até a segunda-feira, passando por todo o final de semana. 

É claro que as compras perder a força que têm na quinta e sexta-feira, entretanto, ainda no final de semana é uma boa oportunidade de aumentar as vendas de seu negócio e se você ainda vende produtos da linha de eletroeletrônicos ou eletrodomésticos (que acabou entrando na dança dos preços baixos da segunda-feira), você pode utilizar a Cyber Monday para faturar ainda mais. 

Porém, não se engane que tudo isso é feito e construído de um dia para o outro. Para uma Black Friday de real sucesso para uma empresa, planejamento é algo essencial e sem ela, sua empresa pode passar do sucesso total para o fracasso. 

O PLANEJAMENTO PARA QUE NADA SAIA FORA DO ESPERADO… NEGATIVAMENTE

É claro que vender muito mais do que se esperava é uma grata surpresa para qualquer lojista, entretanto, apesar do que a maioria pensa, isso pode ser o começo do fim do seu negócio. 

O planejamento é algo que qualquer negócio precisa ter, porém, assim como as vendas se intensificam na Black Friday, nesta data, em específico, o planejamento ganha ainda mais importância, visando não apenas o sucesso das campanhas, mas principalmente, evitando grandes dores de cabeça. 

Lembra que citamos acima que as reclamações estão crescendo, junto com as vendas realizadas? Pois bem, sem um planejamento, isso pode sair do controle e ao contrário do que deveria causar uma verdadeira ruptura no faturamento da empresa. 

Vender produtos que não estão em estoque, fazer a precificação errada por pressa ou por falta de planejamento, não estar em acordo com fornecedores, para um envio mais rápido, não ter um armazenamento correto de produtos ou ainda, não ter um fluxo e embalagem e envio preparado para a Black pode causar problemas com clientes e gerar futuros processos para a empresa. 

Você pode fazer uma Black Friday em apenas 30 dias, mas saiba que isso pode ser arriscado, caso não tenha muita experiência com isso ou não tenha ideia por onde começar. 

O ideal é você começar a planejar o que realmente quer fazer com pelo menos, dois meses de antecedência. Qual público quer atingir, quais produtos colocar para promoção, se será interessante lançar algo para essa data ou ainda quais os tipos de comunicação para essa época pode te ajudar a vender mais e com segurança. 

Tenha em mente que tudo será focado para o seu negócio e o crescimento dele depende do planejamento que você irá fazer. 

Também é importante que você tenha em mente que não é porque a Black Friday é importante, que você deve abandonar as campanhas que antecedem essa data (como o Dia das Crianças, caso você atenda esse público) ou as que prosseguem (como o Natal). Tudo deve estar dentro do seu planejamento. 

O ideal é você observar o crescimento do segmento em que atua e se preparar para que sua loja cresça essa quantidade, claro, também se baseando no seu crescimento nos últimos doze meses e até seu crescimento na última Black Friday, se nela você esteve como lojista. 

A COMUNICAÇÃO EM DIVERSOS MEIOS

E se você está no e-commerce, acredite, os meios para se comunicar são vários. Não é porque você está em um meio online que você se precisa se comunicar apenas dessa maneira. 

Mais uma vez, dependerá muito do seu planejamento, do rumo que você quer que suas campanhas tomem e quem você quer atingir, que é o mais importante. 

Um exemplo de como se comunicar muito bem em diversos canais é mais uma vez, da Magazine Luiza. A empresa comunicou pelas redes sociais e e-mail sobre as campanhas de Black Friday de 2018, trazendo ainda mais pessoas para participar de sua campanha de compra “no escuro”. 

Depois, usou os meios de comunicação televisivos, redes sociais, e-mails, campanha de remarketing para mostrar o resultado e a satisfação de quem conseguiu participar. 

O mais importante ao apresentarmos esse caso, no quesito comunicação é que a Magazine Luiza sabia exatamente quem era seu público e conseguiu conversar de maneira estratégica com eles. 

Independente da grande diferença de idade que tem o público traçado por ele, eles têm uma coisa em comum e as campanhas montadas bateram muito nisso: você ter confiança o suficiente para comprar da Magazine Luiza de olhos fechado e se surpreender com isso. 

No ponto de vista comunicativo, a empresa conseguiu sucesso e ainda, conseguiu ser notícia em vários meios de comunicação, já deixando um gosto de quero mais para a Black Friday desse ano e se engana, quem acha que a empresa já não está se movendo para a campanha 2019. 

O site da Black Friday da empresa já está disponível para consulta e em agosto deste ano, a empresa fez promoções no app, com frete grátis e descontos imperdíveis de até 80%, mostrando que esse ano, a estratégia de comunicação deve invadir também os celulares. 

VENDAS MOBILE E O CUIDADO COM FRAUDES

E por falar nisso, apenas para mostrar a representatividade da Black Friday para as empresas, em 2018, até as vendas por mobile (vendas realizadas pelo telefone celular) cresceram! Foi 6,5%, segundo a E-Commerce Brasil. Mostrando que além dos consumidores estarem mais crentes nas campanhas da data, estão mais confiantes em concretizar suas vendas pelo aparelho. 

Com a crescente confiança dos consumidores, as empresas podem apostar em campanhas focadas para esse público, aqueles que fazem tudo em pequenos toques de dedo. Seja por SMS, mensagens por WhatsApp ou outros tipos de aplicativos de comunicação instantânea ou ainda investindo de app mobile, a verdade é que os lojistas devem se atentar em atingir seu público também através dos telefones, que estão sempre mais perto e podem ser uma das principais estratégias para a compra de impulso (quando o cliente compra por impulso, sem pensar muito em como ou quanto precisa de determinado item).

Entretanto, apesar da confiança dos consumidores em comprar cada vez mais pela internet (não a toa que, pela primeira vez, comércio eletrônico e o comércio físico devem ter resultados parecidos), o cuidado para evitar ter uma dor de cabeça deve ser essencial. 

Se para o consumidor, o perigo de ser atraído por falsos sites com promoções que podem parecer reais, mas que servem apenas para roubo de informações é o principal perigo, para os e-commerces, a compra com cartões falsificados ou roubados é o principal problema. 

Segundos dados da Clearsale, na Black Friday de 2018, foram evitados quase R$ 1.5 milhões de fraudes de todos os tipos contra e-commerces, sendo que a região sudeste liderou o ranking de locais com mais tentativas.

Para evitar que isso aconteça com o seu negócio, a própria Clearsale dá dicas de melhoria e como evitar esse tipo de problema, entretanto, acredita-se que algumas pontos de atenção com relação a essa época do ano, claro, além da falta de um antifraude eficiente é que os lojistas, na ânsia de passar todos os pedidos mais rápidos e despachá-los para evitar atrasos, não analisem com a devida atenção as compras realizadas pelos consumidores e por isso, algumas dessas compras acabam sendo fraudes de grandes proporções. 

Segundo a própria Clearsale, o tíquete médio das fraudes fica em valores entre R$ 700,00 a R$ 800,00 e estão no ranking, em primeiro lugar os smartphones, seguidos de vídeo-games, televisores, produtos de beleza, como perfumes e cuidados com a pele importados. 

Apenas por esses dados, podemos entender a magnitude da data mais importante do comércio mundial. Como mostramos, todo cuidado no planejamento e elaboração da sua Black Friday é pouco.

TENHA UMA BLACK FRIDAY TRANQUILA E SEM TRAUMAS

Use essa data para levantar as vendas de seu negócio, para fazer testes de preço, produto e de como sua equipe ou agência de Marketing pode trabalhar para você no restante do ano. 

Tenha metas definidas, não esqueça de combinar com fornecedores, CDs (locais de armazenamento de produto) e transportadoras como receber e enviar esses produtos aos clientes. 

Com um planejamento cuidadoso de como e onde você quer ir, fica mais fácil traçar todos as estratégias que citamos acima e ainda, ter uma Black Friday tranquila, sem a possibilidade de fraudes, falta de produtos, devoluções, cancelamentos ou ainda o não pagamento de boletos, que é um dos fatores que mais atrapalham o lojista. 

Pense bem em como fazer suas ações, converse com uma agência de Marketing Digital e trace o caminho que você quer com antecedência. 

BÔNUS

E para finalizarmos nossas dicas de Black Friday para esse 2019, duas dicas quentíssimas. 

A primeira: Negocie com sua plataforma de e-commerce e tenha a certeza de ela te dar todo o respaldo para manter sua loja virtual no ar, afinal, não adianta você tratar todas as estratégias com carinho e antecedência se na hora que os clientes começarem a chegar, seu site cair por excesso de tráfego. 

Conheça o limite de sua plataforma, se ela tiver e negocie uma possível redundância (garantia de que a plataforma fique no ar em pelo menos 99,9% do tempo da Black Friday). Hoje, a maioria das plataformas se planejam e montar mega estruturas para receber os clientes de Black Friday, mas como informamos acima, cautela nunca é demais. 

Já a segunda dica é: monte promoções inesperadas e por pouco tempo! Isso aumenta o sentido de urgência e pode ajudar no impulsionamento das compras por impulso!

Curtiu? A gente ainda tem várias dicas como essa! Acesso o artigo: 6 dicas para que seu e-commerce venda mais na Black Friday e tenha uma estratégia de venda matadora!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.